Cibersegurança para 2020

Com a evolução da tecnologia há algumas tendências de cibersegurança que as empresas têm que estar atentas durante o(s) próximo(s) ano(s) como é o caso da Inteligência artificial e os riscos da autenticação biométrica.

cibersegurança

Segue as principais ameaças que se considerou para 2020:

Inteligência artificial

Algoritmos de deep learning estão a ser utilizados para deteção de rosto, processamento de linguagem natural e deteção de ameaças. No entanto, a IA também está a ser utilizada por cibercriminosos para desenvolver métodos mais sofisticados de malware e ataque, levando as organizações a implementar soluções avançadas.

Atualmente, é impossível uma organização conseguir responder a todos os ataques que sofre diariamente sem a ajuda da inteligência artificial.

Configurações da cloud

Os erros humanos durante o processo de configuração podem ajudar os criminosos uma a aceder de forma simples a informação que as organizações têm guardada nas suas infraestruturas.

Uma configuração incorreta pode permitir o acesso a pastas ou blocos de dados no espaço de armazenamento.

Ransomware

Estima-se que em 2020 o número de ataques aumente, até pelo facto de existir a possibilidade de contratação serviços de ransomware para atacar as organizações.

Se têm malware com desempenho constante nos ambientes Windows, o próximo alvo será uma maior diversidade de sistemas, incluindo ambientes cloud, containers e sistemas Linux.

Biometria

Apesar da autenticação biométrica ser mais segura do que os métodos tradicionais, é necessário lembrar que os invasores não procuram impressões digitais ou dados faciais, mas sim o acesso que está por trás dos métodos de autenticação segura.

Assim, ainda que a autenticação biométrica seja uma maneira mais segura de identificar um utilizador, as empresas devem estar cientes de que sempre que há uma autenticação, esses dados biométricos devem ser cifrados e os ativos por detrás da autenticação devem ser mantidos em segurança.

Passwords

A reutilização de passwords, bem como a partilha destas entre contas pessoais e profissionais é uma falha na segurança de muitas empresas.

Um estudo do LogMeIn, afirma que 91% dos entrevistados conhecem os riscos de reutilizar senhas em várias contas, mas 59% admitiram fazê-lo na mesma. Além disso, 62% dos funcionários utilizam a mesma senha para contas pessoais e profissionais.