Coronavírus e os riscos de trabalhar remotamente

Devido ao surto do coronavírus, trabalhar remotamente tem sido uma das medidas incentivadas pelas organizações por forma a travar o surto.
No entanto, o trabalho remoto traz os seus riscos e é necessário implementar algumas medidas de segurança.

coronavirus e os riscos de trabalhar remotamente

O trabalho remoto é cada vez mais uma tendência e uma vantagem para a maioria das empresas, por outro lado essa prática traz com ela riscos acrescido, o que leva à necessidade das organizações reavaliarem a segurança do acesso à distância aos seus sistemas corporativos, uma vez que os dispositivos trabalham fora da rede interna e se conectam a outras redes wi-fi.

David Emm, investigador de segurança da Kaspersky afirma

Aconselhamos as empresas a serem particularmente cautelosas neste momento, devendo garantir que os seus colaboradores conseguem trabalhar remotamente sem comprometer a segurança da informação.

 

Para esta fase em que todos se encontram preocupados com o impacto do COVID-19, a kaspersky recomenda:

  • Disponibilizar uma VPN para que os colaboradores se conectem de forma segura à rede corporativa;
  • Proteger os dispositivos da empresa (telemóveis, portáteis, tablets, etc) com um software de segurança adequado, com uma solução que permita eliminar dados de aparelhos que sejam declarados como perdidos ou roubados, que separe a informação pessoas da profissional e que restrinja as aplicações que podem ser instaladas);
  • Manter todos os softwares, sistemas operativos e aplicações atualizadas;
  • Restringir os direitos de acesso dos utilizadores que se conectem à rede corporativa;
  • Assegurar que os colaboradores estão conscientes dos perigos associados à resposta de mensagens que não foram solicitadas.

 

David Emm comenta:

O coronavírus não só já provocou o aumento do trabalho remoto, como tem suscitado o interesse dos hackers, que já ocultaram malware em ficheiros e documentos que aparentemente seriam um esclarecimento sobre a doença. Com os criminosos a aproveitarem-se desta onda de alarme, é prudente que as empresas estejam ainda mais vigilantes na proteção da sua informação.

 

Tem sido divulgado e detetado ficheiros disfarçados de pdf., mp4 e docx com informações sobre o coronavírus, onde continha conselhos de proteção contra o vírus, atualizações de notícias e da evolução do surto, que na verdade são apenas um vínculo para trojans e worms, capazes de eliminar, bloquear ou copiar dados, além de interferirem com a operação dos computadores e respetivas redes.

Tome todas as precauções e proteja-se a si e à sua organização.